COMO SUPERAR O MEDO DA MORTE

Tanatofobia √© uma forma de ansiedade caracterizada pelo medo da pr√≥pria morte ou do processo de morrer. √Č comumente referida como ansiedade da morte.

Na l√≠ngua grega, a palavra ‚ÄėThanatos‚Äô refere-se √† morte e ‚Äėphobos‚Äô significa medo. Assim, tanatofobia se traduz como medo da morte.

Ter alguma ansiedade em relação à morte é uma parte inteiramente normal da condição humana. No entanto, para algumas pessoas, pensar na própria morte ou no processo de morrer pode causar ansiedade e medo intensos.

Uma pessoa pode sentir extrema ansiedade e medo ao considerar que a morte é inevitável. Eles também podem experimentar:

Medo da separação
Medo de lidar com uma perda
Se preocupar em deixar entes queridos para tr√°s

Quando esses medos persistem e interferem na vida e nas atividades diárias, isso é conhecido como tanatofobia.

Em seus aspectos mais extremos, esses sentimentos podem impedir as pessoas de realizar atividades diárias ou até mesmo de sair de casa. Seus medos se concentram em coisas que podem resultar em morte, como contaminação ou objetos ou pessoas perigosas.

Sintomas e diagnóstico

Os médicos classificam a tanatofobia como uma fobia específica.

De acordo com o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5), uma fobia é um transtorno de ansiedade relacionado a um objeto ou situação específica.

O medo da morte é considerado uma fobia se o medo:

Surge quase toda vez que uma pessoa pensa em morrer
Persiste por mais de 6 meses
Atrapalha a vida cotidiana ou relacionamentos

Os principais sintomas de que uma pessoa pode ter fobia de morrer incluem:

Medo ou ansiedade imediata ao pensar em morrer ou no processo de morrer
Ataques de p√Ęnico que podem causar – Tonturas, sudorese e frequ√™ncia card√≠aca elevada ou irregular
Evitar situa√ß√Ķes em que pensar sobre a morte ou morrer pode ser necess√°rio
Sentir-se mal ou ter dores de est√īmago ao pensar sobre a morte ou morrer
Sentimentos gerais de depress√£o ou ansiedade

As fobias podem fazer com que a pessoa se sinta isolada e evite contato com amigos e familiares por longos períodos de tempo.

Os sintomas podem ir e vir ao longo da vida de um indivíduo. Alguém com ansiedade leve de morte pode sentir ansiedade elevada quando pensa na própria morte ou na morte de um ente querido, como quando ele ou um membro da família está gravemente doente.

Se a ansiedade da morte estiver ligada a outra ansiedade ou condi√ß√£o depressiva, a pessoa tamb√©m pode apresentar sintomas espec√≠ficos relacionados √†s condi√ß√Ķes subjacentes.

Um médico pode recomendar que uma pessoa com tanatofobia receba tratamento para um transtorno de ansiedade, fobia ou para uma causa subjacente específica de seu medo.

O tratamento envolve uma forma de terapia comportamental ou oral. Esta terapia tenta ensinar o indiv√≠duo a reorientar seus medos e trabalhar com eles falando sobre suas preocupa√ß√Ķes.

As op√ß√Ķes de tratamento para a ansiedade da morte incluem:

Terapia cognitivo-comportamental (TCC)

A terapia cognitivo-comportamental ou TCC funciona alterando suavemente os padr√Ķes de comportamento de uma pessoa para que ela possa formar novos comportamentos e formas de pensar.

O m√©dico ajudar√° a pessoa a encontrar solu√ß√Ķes pr√°ticas para superar seus sentimentos de ansiedade. Eles podem trabalhar para desenvolver estrat√©gias que lhes permitam ficar calmos e sem medo ao falar ou pensar sobre a morte.

Psicoterapia

As psicoterapias, ou terapias da fala, envolvem conversar sobre ansiedades e medos com um psicólogo ou psicoterapeuta. Esses profissionais ajudarão alguém a descobrir a causa de seu medo e traçar estratégias para lidar com as ansiedades que ocorrem durante o dia.

Às vezes, apenas falar sobre a ansiedade pode ajudar a pessoa a se sentir mais no controle de seu medo.

Quanto tempo dura o luto após uma morte?

Não há um cronograma para a duração do luto ou como você deve se sentir após um determinado período. Depois de doze meses, pode parecer que tudo aconteceu ontem, ou pode parecer que tudo aconteceu há muito tempo. Esses são alguns dos sentimentos que você pode ter quando está lidando com o luto de longo prazo.

Aprender a conviver com a perda de alguém que você ama pode levar muito tempo, e assim como a dor de cada pessoa é diferente, cada ser humano se sente diferente com o passar do tempo.

Quando vou me sentir melhor?

Você e as pessoas ao seu redor podem ter expectativas sobre a rapidez com que devem seguir em frente. Mas a dor muda com o tempo, à medida que você entende como sua vida é diferente sem a pessoa. Somos todos diferentes e não há um cronograma de quanto tempo isso vai demorar.

Nos estágios iniciais, você pode ser pego por um turbilhão de coisas que precisa fazer e resolver, ou pode se sentir chocado e entorpecido. Depois de vários meses, o apoio inicial que você recebeu de amigos e familiares pode começar a diminuir. Ao mesmo tempo que as pessoas começam a oferecer menos apoio, você pode começar a se sentir menos apoiado. Somente quando essas coisas acontecem, você pode começar a sentir como sua vida é diferente sem a pessoa que amava e começar a sofrer por essa perda.

O primeiro ano
Geralmente, leva cerca de um ano para você perceber o que mudou em sua vida, tanto emocional quanto de forma prática. Algumas coisas só acontecem uma vez por ano, como comemorar um aniversário, ou fazer algo que o falecido costumava fazer, como renovar o seguro do carro. Cada vez que uma dessas coisas acontece, você é lembrado de sua perda e seus sentimentos de tristeza podem vir à tona.

Pode parecer como se voc√™ estivesse em uma montanha-russa emocional, onde em um minuto voc√™ est√° enfrentando e no pr√≥ximo voc√™ se sente oprimido pela tristeza. √Č prov√°vel que voc√™ descubra que tem dias bons e dias ruins.

Conforme o tempo passa, o equilíbrio entre dias bons e dias ruins muda e gradualmente você descobrirá que tem mais dias bons e menos dias ruins. Mas essas mudanças são graduais e cada pessoa é diferente, de modo que o equilíbrio para você pode não ser o mesmo de outra pessoa após o mesmo período de tempo.

Alguns dos sintomas físicos do luto, como dificuldade para dormir e perda do apetite, também diminuem com o tempo. Cuidar de si mesmo comendo bem, fazer exercícios e dormir vai ajudá-lo a se sentir melhor consigo mesmo e a lidar com a situação.

A Viva Mais Plan oferece o apoio para a sua família em uma hora tão delicada.
Consulte condi√ß√Ķes em nosso site.
Acesse vivamaisplan.com.br

POR QUE LEVAMOS FLORES PARA OS FUNERAIS?

As flores têm sido uma maneira muito comum de expressar simpatia, amor, condolências e respeito após o falecimento de alguém que conhecemos.

Mas por que as usamos e o que elas significam?

Se hoje em dia as flores carregam significados de apreço, nem sempre foi assim.

Antigamente, flores f√ļnebres perfumadas eram colocadas sobre e ao redor do caix√£o do falecido para perfumar a √°rea e afastar o cheiro do corpo em decomposi√ß√£o.

Felizmente, encontramos uma maneira melhor de controlar o odor, mas a tendência das flores permaneceu.

Por isso, elaboramos uma lista com v√°rios tipos de flores que podem ser usadas para representar os melhores sentimentos para quem partiu:

Lírios

Os l√≠rios s√£o talvez a flor mais popular nas cerim√īnias f√ļnebres, devido √† sua representa√ß√£o da inoc√™ncia restaurada na alma do falecido.

Qualquer tipo de lírio branco é apropriado, pois representam pureza e majestade.

Lírio da paz

O l√≠rio da paz tem sido usado h√° muito tempo em cerim√īnias religiosas, pois a flor representa paz, inoc√™ncia, harmonia e pureza ap√≥s a morte.

Também se acredita que eles estejam associados à ressurreição de Jesus Cristo porque morrem durante o inverno e voltam à vida na primavera.

O lírio da paz também é um grande presente de simpatia devido à sua capacidade de reviver.

√Č uma boa planta para dar √† fam√≠lia do falecido como um lembrete de que sua alma ainda vive.

Rosas

Assim como os lírios brancos, as rosas brancas representam pureza e inocência.

Rosas cor de rosas representam amor, graça e apreço e geralmente são dadas aos enlutados, enquanto rosas vermelhas escuras simbolizam tristeza.

As rosas amarelas significam amizade e s√£o dadas por amigos do falecido para representar sua lealdade.

Orquídeas

As orquídeas em vasos são plantas elegantes e duradouras que fazem a escolha perfeita para um presente de simpatia.

A flor ex√≥tica evoca sentimentos de renova√ß√£o e inoc√™ncia, e a flor da orqu√≠dea significa “Eu sempre vou te amar”.

Cris√Ęntemos

Cris√Ęntemos s√£o uma caracter√≠stica comum em arranjos de flores em servi√ßos funer√°rios porque cris√Ęntemos brancos carregam significados associados √† morte de um ente querido.

Cravos

Quando os cravos s√£o usados ‚Äč‚Äčem arranjos florais funer√°rios, eles representam amor e admira√ß√£o, mas tamb√©m s√£o usados ‚Äč‚Äčpor sua fragr√Ęncia doce e duradoura.

Como as orquídeas, cada cravo colorido tem um significado diferente; o vermelho simboliza a admiração por um ente querido que já faleceu, o rosa representa a lembrança dos mortos e o branco representa o amor imaculado e a inocência.

Achou interessante as dicas?

Siga as redes sociais da Viva Mais Plan e receba outras orienta√ß√Ķes importantes sobre assist√™ncia funeral.

O QUE A PERDA DE UMA CRIAN√áA CAUSA NOS PAIS PSICOL√ďGICA E BIOLOGICAMENTE

A perda de um filho pode ser o pior trauma que um ser humano pode experimentar. Embora n√£o seja uma experi√™ncia comum, o terr√≠vel potencial de mortalidade infantil √© grande. No Brasil, assim como na maioria dos outros pa√≠ses, a taxa de mortalidade est√° reduzindo a cada ano. Conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estat√≠stica (IBGE), a mortalidade infantil no Brasil segue em decl√≠nio. Em uma d√©cada (1998 ‚Äď 2010) passou de 33,5 crian√ßas mortas por mil nascidas vivas para 22. Embora tranquilizadores, os n√ļmeros tamb√©m deixam claro por que esse tipo espec√≠fico de perda √© t√£o temido, t√£o doloroso e t√£o estigmatizado.

Obviamente, a morte de uma criança é considerada o pior fator de estresse que uma pessoa pode enfrentar, afinal de contas pelo fato de os pais se sentirem responsáveis pelo bem-estar da criança e, quando o perdem, eles não estão apenas perdendo uma pessoa que amavam. Eles também estão perdendo os anos de promessa que esperavam.

A morte de um filho, pequeno ou crescido, geralmente é encarada como antinatural ou a que fica para além da ordem natural da vida. Pais em luto sofrem grande impacto no equilíbrio emocional, desenvolvendo patologias de foro psquiátrico, tornando o processo de luto mais prolongado.

N√£o raro, dentro das fases do Ciclo do Luto, algumas manifesta√ß√Ķes dolorosas, como a tristeza, a culpa, a ansiedade e o medo podem permanecer para toda a vida. Apesar de se revelarem em graus mais ou menos elevados, e de se tornarem cada vez menos frequentes, estas manifesta√ß√Ķes persistem, nunca chegando a desaparecer totalmente.

IMPACTOS BIOL√ďGICOS: COMO A MORTE DE UMA CRIAN√áA MUDA O CORPO DOS PAIS

Em 2018, Frank Infurna e colegas analisaram a sa√ļde geral e o funcionamento f√≠sico de 461 pais que perderam filhos ao longo de 13 anos. ‚ÄúVimos algum decl√≠nio, seguido por uma recupera√ß√£o geral, ou recupera√ß√£o, ao longo do tempo‚ÄĚ, disse a Fatherly Infurna, que estuda resili√™ncia aos principais estressores na Universidade do Estado do Arizona. O funcionamento f√≠sico se concentrava na capacidade de realizar v√°rias tarefas di√°rias, e “n√£o vimos muitas mudan√ßas nisso”, lembra Infurna. Mas quando ele revisou os auto-relatos de pais enlutados – se eles sentiam que ficavam doentes com frequ√™ncia ou se esperavam que sua sa√ļde melhorasse ou piorasse – ele encontrou percep√ß√Ķes de sa√ļde piores.

O trauma da sa√ļde mental de perder um filho pode desencadear sintomas f√≠sicos, incluindo dores de est√īmago, c√£ibras musculares, dores de cabe√ßa e at√© s√≠ndrome do intestino irrit√°vel. Um punhado de estudos descobriu liga√ß√Ķes mais t√™nues entre luto n√£o resolvido e dist√ļrbios imunol√≥gicos, c√Ęncer e mudan√ßas gen√©ticas de longo prazo no n√≠vel celular.

Um impacto surpreendente, freq√ľentemente visto entre os pais que lamentam a perda de um filho, √© conhecido como s√≠ndrome do cora√ß√£o partido – uma condi√ß√£o que se apresenta estranhamente como um ataque card√≠aco cl√°ssico.

Al√©m disso, o estresse cr√īnico pode at√© afetar o funcionamento do c√©rebro, j√° que a exposi√ß√£o de longo prazo ao horm√īnio do estresse cortisol tem sido associada √† morte de c√©lulas cerebrais. Isso pode explicar por que pais enlutados desenvolvem dist√ļrbios alimentares e do sono ap√≥s a perda.

Pais enlutados devem procurar imediatamente após a perda apoio psicológico para receber amparo e orientação profissional.